A análise SWOT é uma ferramenta poderosa de planejamento estratégico que pode ser usada para organizar novos projetos pessoais ou profissionais, como por exemplo, a aprovação em um processo seletivo, podendo ser a prova da residência.

Mas afinal, o que quer dizer a sigla SWOT?

Segundo Philip Kotler, professor universitário estadunidense especialista em administração:

“A avaliação global das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças é denominada análise SWOT (dos termos em inglês strengths, weaknesses, opportunities, threats.)

Em português, a matriz SWOT pode ser traduzida para Análise das Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças, sendo popularmente chamada de análise FOFA ou matriz FOFA.

E no que consiste a análise SWOT?

A matriz SWOT, ou FOFA, é uma ferramenta de gestão de novos projetos, sendo uma estratégia de aplicabilidade fácil e rápida, com impactos positivos já a curto prazo.

A análise é feita a partir de uma análise de fatores internos e externos.

As forças e as fraquezas fazem parte da análise interna, tendo seus pontos positivos e negativos que devem ser interpretados como relevantes ou não para o objetivo.

Na maioria das vezes, os fatores internos podem ser modificados, já que são coisas que estão sob seu controle, diferentemente dos fatores externos, que são baseados em oportunidades e ameaças.

Julga-se como fator externo tudo que foge de seu controle, podendo variar das mais diversas formas. Por exemplo: se você perde algumas horas de seu dia no trânsito para ir ao trabalho, isso é um fator externo, supondo que você dependa de seu trabalho para se manter e não possua outra alternativa, senão exercê-lo todos os dias.

O resultado dessa análise resulta em uma matriz 2×2, que aborda todos os pontos de análise quanto os fatores internos/externos e positivos/negativos. Analisando essa matriz, você obtém um panorama de possibilidades que podem determinar o sucesso do seu projeto.

(Imagem de Rockcontent)

Para que serve a análise SWOT?

Em poucas palavras, a matriz FOFA permite tomar escolhas com maior chance de acerto, proporcionando ideias de estratégias diferentes para que seu projeto seja bem sucedido.

Ao examinar os fatores internos, é possível identificar suas principais vantagens, que podem ser potencializadas e indicam que você está progredindo. Quanto as fraquezas, a partir da análise você pode julgar o que precisa ser feito para melhorar em prol do sucesso a longo prazo de seu projeto. Como já dizia Sócrates, “conhece-te a ti mesmo”.

Por mais que existam muitas coisas fora de seu controle no ambiente externo, com a análise, é possível que você se planeje para contornar eventuais obstáculos.

A matriz SWOT possibilita que você gere insights que provavelmente não haviam sido notados antes. Adotando assim novas medidas que evitam que seu projeto seja prejudicado.

Como fazer a análise SWOT?

Como já citado anteriormente, a aplicação da análise SWOT é bastante simples. Veja este passo a passo de como aplicar o SWOT em um novo projeto:

1. Faça um brainstorm sozinho(a) ou com outras pessoas que irão participar projeto;

Agilidade é a definição perfeita para essa etapa. Não se prenda a dados e referências 100% precisas, como se estivesse fazendo um trabalho acadêmico. O objetivo é levantar informações e pontos importantes do projeto, de maneira realista a suas possibilidades do momento.

2. Defina seus fatores internos;

A análise precisa iniciar voltada para você mesmo, que conhece suas forças e fraquezas. Essa análise possibilita colocar em vantagem ou desvantagem em relação a seus concorrentes. Então, por exemplo: se pretende prestar um processo seletivo (como a prova da residência), é importante ter informações sobre seus concorrentes. Por isso, embora a análise interna seja focada em você, é importante ficar atento a outras pessoas que visam o mesmo resultado.

Veja alguns exemplos de características para analisar fatores internos:

  • Seu ambiente pessoal e familiar;
  • Questões de saúde, tanto físicas quanto mentais;
  • Recursos financeiros;
  • Gestão de tempo livre;
  • Capacidade de produção;
  • Limitações pessoais;
  • Materiais e estrutura necessários para o projeto.
3. Defina seus fatores externos;

Estes fatores não podem ser controlados por você, ou seja, eles apenas estão lá. Entretanto, é importante analisá-los para estar preparado(a) em eventuais imprevistos ou surgimento de novas oportunidades.

Os fatores externos podem ser divididos em duas categorias: presentes no microambiente e macroambiente.

O microambiente refere-se às influências próximas a você. Essas podem ser pessoas que compartilham da mesma esfera social que você, ou até mesmo seus concorrentes.

Já o macroambiente diz respeito ao que está além do seu campo de interação, envolvendo questões naturais, demográficas, econômicas e socioculturais.

4. Monte a matriz;

Após realizar a etapa 1, aponte todos os dados levantados na matriz 2×2 que foi mostrada anteriormente, isso proporcionará uma visualização rápida de todas as informações de que você precisa.

Nos quadrantes superiores da matriz, ficam os fatores internos (forças e fraquezas). Já nos quadrantes inferiores, coloque a análise externa (oportunidades e ameaças). Evite informações desnecessárias e textos muito longos, priorizando apenas o que é mais relevante para obter sucesso em seu projeto.

A partir daí, é possível ter uma noção clara do que você precisa analisar e fazer conexões entre essas informações para criar estratégias.

5. Defina a viabilidade do projeto;

A análise SWOT é um excelente indicativo para você tirar seu projeto do papel, entretanto, a partir dela também é possível visualizar se o que você idealizou é viável ou não.

Caso você trace sua matriz e conclua que agora não seja um bom momento para iniciar, vale a pena adotar medidas para reverter este quadro e começar quando você conseguir atender a todos os requisitos mínimos que esse novo projeto vai demandar.

6. Trace uma estratégia inicial.

Por fim, utilize todo o planejamento feito até aqui para traçar sua primeira estratégia.

De maneira geral, sua estratégia precisa focar os seguintes objetivos:

  • Pensar em suas forças que podem ser impulsionadas;
  • Pensar em uma maneira de controlar, ou até mesmo superar seus pontos fracos (se tratando de seu objetivo);
  • Desenvolver um planejamento que permita aproveitar novas oportunidades;
  • Reduzir o risco de fatores que ameaçam o desenvolvimento de seu projeto.

Cruze todos quadrantes com dados da matriz para pensar em novos objetivos e estratégias a serem desenvolvidas. Por exemplo:

  • Forças + Oportunidades
  • Forças + Ameaças
  • Fraquezas + Oportunidades
  • Fraquezas + Ameaças

Conclusão

A análise SWOT é rápidafácil e útil.

Além de facilitar o processo de tomada de decisão, a matriz FOFA é um excelente meio de você se autoconhecer e enxergar suas principais qualidades e pontos a serem melhorados.

Com as estratégias, é possível organizar o tempo que você tem disponível para trabalhar em seus projetos, e ao mesmo tempo, estar preparado para obstáculos que possam surgir em sua trajetória.

Gostou da análise SWOT? Então faça um levantamento de dados para construir sua primeira matriz e use-a para dar seu primeiro passo rumo aos seus objetivos!

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *