Auto-sabotagem: você faz isso com si mesmo?

Todo mundo já deixou para depois o que poderia ser feito hoje, ou, até pior, deixou para depois algo que PRECISAVA ser feito hoje. Alguns aprendem com o erro, outros não. Uns tentam justificar dizendo que é “coisa de brasileiro”, outros, de preguiçoso, já alguns atribuem a culpa a qualquer frustração, por mais insignificante que ela seja. E por aí vão as desculpas, qual é a sua?

Independente do motivo, isso pode resultar em uma catástrofe irreparável ou apenas em uma dorzinha de cabeça. Mas o que você faz para fugir dessa questão? Prefere deixar para lá e ficar esperando o que foi acumulado acabar com tudo? Ou passa noites e noites acordado até conseguir resolver a pendência?

Tenho uma boa e uma má notícia:  A boa é que procrastinar seu compromisso para outro dia não é algo tão grave. Uma, duas, ou até mesmo três vezes é compreensível, desde que a tarefa se encontre dentro do prazo estabelecido para conclusão. Já diziam os avós “a pressa é inimiga da perfeição”. Nós tendemos a ter os piores retornos possíveis quando fazemos as coisas às pressas. A má notícia é que essa procrastinação se torna um hábito, e quando ela se tornar, você vai começar a se acostumar com ela, afinal, “se hoje não teve problema, amanhã também não vai ter…”

Quando falamos de estudos então, esse hábito dever ser banido, já que para essa tarefa você necessita de concentração e tempo. Se você estiver estudando em um curso preparatório, isso deve ser levado ainda mais a sério!  Pois o tempo que você perdeu é exatamente o tempo que seu concorrente aproveitou.

É obvio que existem diversos motivos para que esse desinteresse ocorra, dentre eles estão os problemas emocionais, os quais devem ser acompanhados por médicos especializados e psicólogos, além da união e compreensão de amigos e familiares.

Outro motivo muito comum é quando o assunto não nos desperta tanto interesse, mesmo se tratando de algo importante. Para algumas pessoas, temas de estudo que não agradam tendem a ser um fardo gigantesco e cansativo. Uma dica valiosa para estes momentos é: faça o quanto antes, pois se houver a necessidade de fazer alguma revisão, o tempo não estará a seu favor se deixar paras últimas horas.

Mas como conseguir me organizar para concluir meu objetivo?

Entender seu perfil é o primeiro passo a ser tomado. Alguns rendem mais no período da manhã e outros durante a tarde ou noite. Diante disso você conseguirá criar uma rotina, uma importante aliada para a sua organização. Se planeje para conseguir fazer suas tarefas no seu tempo livre, preferencialmente em seu período mais produtivo.

Se você é daqueles que se distraem com muita facilidade, deixe o celular, aplicativos e redes sociais de lado por um tempo. Interromper uma linha de raciocínio por decorrência de coisas insignificantes, como notificações de redes sociais, pode ser algo decisivo para seu sucesso ou fracasso na tarefa.

Faça uma coisa de cada vez. Não interrompa uma ideia para iniciar outra. Você pode misturar as duas ou não evoluir em nenhuma delas. Já dizia o ditado “mais vale um passarinho na mão do que dois voando.”

Se a tarefa for muito extensa, seja cauteloso e não se puna. Ao invés disso, se organize! Dependendo do seu cansaço mental, um dia “perdido” para descansar pode ser o que você precisa para salvar um projeto.

Sempre deixe por perto um lanchinho para beliscar. Nosso cérebro precisa de glicose para ter um bom funcionamento, mas isso não significa que deva consumir açúcar, hein?! Deixe um copo de suco sempre à mão, ou uma fruta, um cafezinho, ou até mesmo uma garrafinha de água. Fazendo isso, você se sentirá bem mais confortável para realizar sua tarefa!

Nunca deixe de ter um “dia do lixo”, não é só a dieta que tem que sair do ritmo, sua mente também merece descanso! Faça uma maratona de series, saia com os amigos para se divertir, faça uma corrida ou cozinhe seu prato favorito. Enfim, crie momentos de satisfação, isso sem dúvida fará toda diferença no dia seguinte, contando que você retome a rotina e continue de onde parou para conquistar seu objetivo!

Autora: Mariana Amadio