Gastroenterologia veterinária: conheça mais sobre essa especialidade

É muito comum os cães possuírem algum distúrbio digestivo, é uma casuística expressiva entre os atendimentos. A gastroenterologia veterinária pesquisa meios para solucionar e controlar as alterações no trato gastrointestinal do animal, sejam elas agudas ou crônicas. Por ter inúmeras patologias, que englobam doenças periodontais, ingestão de corpos estranhos, parasitoses, viroses, alergias, bacterioses, inflamações e neoplasias, é uma área que necessita de muita investigação, normalmente feita através de exames. Através desses procedimentos é conhecido o interior dos órgãos que compõem o trato digestivo, revelando, se o cão possui apenas um mal-estar ou uma disfunção mais grave.

Diagnóstico assertivo

As principais investigações realizadas por um médico veterinário são a endoscopia e ultrassonografia. A endoscopia deve ser dominada por um especialista do ramo, ainda que seja um estudo minimamente invasivo, é feito com anestesia geral, e que permite verificar a vitalidade do trato intestinal, vias aéreas altas e baixas, trato urinário, cavidade abdominal e torácica, articulações, e recolher material para análise histopatológica, de maneira rápida e segura, priorizando o bem estar animal. Com essa técnica moderna e detalhada, e exames complementares, como hemograma, há um diagnóstico preciso, que irá direcionar uma terapia correta e eficaz.

Avanços na área

A endoscopia é dada do século XIX, mas só no final do século XX houve melhoramento nas lentes do endoscópio, facilitando a visualização dos órgãos e o diagnóstico, atualmente, ela se mostra ainda mais benéfica, auxiliando na remoção de corpos estranhos, cirurgias laparoscópicas e das articulações. Com esse exame, o veterinário cede ao animal mais conforto, durante e o exame e a recuperação, sendo esta rápida e sem mais complicações, podendo ser realizada no ambulatório. Além disso, é feita com dois tipos de endoscópios, os rígidos e os flexíveis, estes são utilizados para visualizar o trato intestinal e vias aéreas, aquele, para visualizar o reto, cavidade nasal, trato urinário, articulações, cavidade abdominal e torácica.

Alta aplicabilidade

O conhecimento dessa especialidade é significativo para todos os momentos da vida do pet, nos mais jovens há doenças causadas majoritariamente por vírus e parasitas intestinais, assim como irritações causadas por alergias ou intolerâncias ainda não conhecidas, ou adaptação de dieta. Nos adultos, em geral, é visto em maior ocorrência inflamações, neoplasias, tumores e doenças relacionadas ao fígado e  pâncreas.

 

Diante disto, cabe ao gastroenterologista lidar com diversos quadros, os quais podem acarretar em uma mudança de hábitos (tanto do paciente quanto do tutor), intervenções cirúrgicas e tratamentos vitalícios. A orientação nutricional, inclusive, faz parte dos encargos desse veterinário, assim como uso de medicamentos antidiarreicos, laxantes, protetores gástricos, antieméticos, vermífugos, antibióticos, suplementos, imunossupressores e manipular fluidoterapia.

Panorama do mercado

A consulta com esse especialista deve ser frequente mesmo que não haja doenças crônicas, uma vez que previne futuras enfermidades, um bom entendimento acerca de GE se mostra crucial para os atuantes da área, já que além de prevenir e tratar patologias gastrointestinais, pode observar colateralidade de doenças de outros órgãos, como na doença renal. Por isso, um clínico se destaca no mercado de trabalho possuindo conhecimento aprofundado em gastroenterologia, é uma área crescente que dá apoio a todas as outras.

Conheça nossos cursos sobre gastroenterologia

Products not found

Você já se imaginou como um imaginologista? Saiba mais sobre o diagnóstico por imagem veterinário!

Há muito tempo não é mais preciso adivinhar o diagnóstico apenas com manifestações externas das patologias. Graças ao diagnóstico por imagem veterinário, o médico tem amplo conhecimento do que ocorre nas cavidades dos animais consultados.

Avanços na área

A especialidade de diagnóstico por imagem tem como característica a tecnologia, essas duas áreas se complementam e co-evoluem, logo, é necessário que o veterinário esteja sempre antenado nas inovações e melhoramentos do equipamento. Assim como, é indispensável que o especialista forme parcerias com outras áreas, já que o diagnóstico de imagem deve ser solicitado por um cirurgião, clínico ou outro profissional, agregando e complementando os exames.

Uma vez que os animais não podem nos dizer se estão com dor, e onde estão sentindo incômodo, cabe ao profissional tomar as providências necessárias para descobrir, com a maior agilidade possível, porquê o paciente está desconfortável. Da mesma maneira, o médico deve usar seu bom julgamento para indicar os exames e procedimentos realmente úteis para os casos, evitando exames desnecessários e agilizando o tratamento adequado. Por isso, mais uma vez, a colaboração com outros clínicos é importante, a soma das experiências em diversas áreas apenas melhora o atendimento e a terapia.

Diagnóstico assertivo

O diagnóstico por imagem é primordial para uma correta identificação dos quadros de saúde, é uma ferramenta que auxilia na investigação de cenários de animais grandes e pequenos, domésticos e silvestres. 

Esse ramo possui uma ampla gama de exames que resumem-se em ressonância magnética, tomografia computadorizada, ecografias, endoscopias, ecocardiogramas, mielografia, ecodopplercardiograma, uso de anestesia e contraste. E os exames mais conhecidos como raio-X e ultrassom, esses procedimentos requerem, na maioria das vezes, que o paciente se mova o menos possível para uma obtenção clara das imagens, sem a necessidade de precisar repetir e causar mais incômodo ao animal.

Cuidados ao paciente e segurança do MV

Ao contrário do seu humano, é difícil manter um pet tranquilo, a viagem à clínica, uma ambiente estranho e a socialização com outras pessoas e animais já pode o deixar bem perturbado, por isso pode haver a necessidade de sedação, ainda que o processo seja rápido e específico. 

 

O médico deve ter a perícia de segurar o paciente na posição correta para uma boa imagem, mesmo em lugares pequenos e mais específicos. Quando se concerne a animais selvagens, para a preservação da equipe e do selvagem, é preciso o uso de sedativos e equipamentos de segurança (EPI’s), em particular, nos exames de radiografia. 

 

Tais intervenções precisam de mais atenção do que as outras, já que há a utilização de materiais radioativos, que mal manipulados, causam grandes males à saúde, humana e animal. Tanto, que esses profissionais têm uma carga horária diferente da habitual, trabalha-se apenas quatro horas diárias, com férias de vinte dias a cada seis meses seguidos de trabalho, portanto, 40 dias de férias por ano, usualmente o trabalhador recebe 30 dias de férias por um ano de trabalho. Além disso, quem atua diretamente com radiografia tem direito a aposentadoria especial após 25 anos de contribuição ao INSS.

Panorama do mercado

O mercado de trabalho para o diagnóstico por imagem é extenso, já que são estratégias primordiais para a identificação dos quadros e laudos. Ainda assim, há escassez de mão de obra especializada que saiba operar os equipamentos, já que requer formação e conhecimento apurado. As principais atuações são em hospitais e clínicas, podendo, com uma pós-graduação stricto sensu (mestrado e doutorado), seguir o ramo da docência. 

Titulo de especialista

O Conselho Federal de Medicina Veterinária regulamentou no dia 06 de fevereiro a concessão de Título de Especialista em Diagnóstico por Imagem na Medicina Veterinária. A Associação de Radiologia Veterinária é a entidade habilitada para conferir a especialidade aos médicos veterinários nos próximos cinco anos.

Caso seja do interesse do médico veterinário, o mesmo deverá solicitar o título ao CRMV de seu respectivo estado. Confira em maiores detalhes clicando aqui.

Conheça nossos cursos sobre diagnóstico por imagem

Products not found

Guia de Programas de Residência em Medicina Veterinária 2021 – Até novembro de 2020


Guia de Programas de Residência em Medicina Veterinária 2021

Ebook desenvolvido especialmente para você que pretende prestar prova de residência e quer manter-se atualizado.

  • Lista com principais programas de residência, credenciados ao CFMV
  • Programas separados por estados e cidades
  • Links para os sites dos programas
  • Número de vagas por área que cada programa oferece

Para fazer o download gratuito, basta preencher o formulário abaixo com suas informações. Após a submissão do formulário, aparecerá o link de download do ebook. Simples assim!

loading...

Fear Free e Feline Friendly Handling

Você já se perguntou por que tem animais, principalmente os gatos, que ficam extremamente irritados quando vão ao veterinário? Ou com medo e fogem até mesmo do proprietário?

Transportar animais para uma visita no veterinário pode ser muito estressante e irritante para o animal, afetando os parâmetros fisiológicos e dificultando anamnese do veterinário. Pensando nisso e em outros aspectos que vamos citar mais adiante, foram criadas as técnicas “Fear Free” e “Feline Friendly Handling” com o intuito de evitar esse medo e estresse. Essas técnicas não são aplicadas apenas no consultório, mas também na residência desses animais, instruído os proprietários. Certamente que para se ter sucesso é importante conhecer o comportamento do animal, para saber o porquê ele teve essa reação.

A espécie animal que será mais beneficiada por essas técnicas, e a que vamos abordar, é a felina, pois é a espécie que mais demonstra agressivamente ou que altera seus parâmetros normais quando ameaçados ou “encurralados”. Gatos foram sempre predadores e algumas atitudes são desencadeadas por conta desse papel que vem de seus ancestrais. Abaixo nós temos uma imagem que demonstra as principais alterações comportamentais encontradas nos felinos com relação a Aggression (agressividade) e Fear (medo).

Fear Free

Traduzindo ao pé da letra significa “livre de medo”, e é exatamente
isso que essa técnica nos traz. As duas técnicas são utilizadas
simultâneas, pois uma complementa a outra, mais adiante comentaremos a
utilização das duas técnicas. O medo é o principal causador da
agressividade nos gatos, em segundo lugar temo a dor, então o objetivo
desta técnica é realizar um manejo de uma forma que o animal não se
sinta ameaçado evitando o medo ao máximo, como o próprio nome nos diz.

Para se evitar que o animal, por exemplo o gato, esteja “livre do
medo” é importante sabermos os motivos que causam esse medo neles. Os
principais fatores relacionados com essa emoção são movimentos bruscos e
rápidos, se você está estressado com certeza vai passar isso para o
animal, barulhos muito altos ou contínuos, cheiros que estão associados
negativamente, espaços novos com muita informação nova. Outro fator são
as memorias negativas que tiveram em outras visitas e que retornam no
momento que ocorre o “estimulo”, podendo ser o jaleco branco, um cheiro
característico, um objeto, qualquer coisa que faça o animal relembrar
daquele estimulo negativo que teve no passado tornando-o agressivo
agora.

Esses estímulos e causas de medo e agressividade não são específicos
para gatos, podendo ser utilizado em outros animais, mudando apenas
algumas características relacionada com o comportamento de cada animal. A
técnica a seguir já mais específica.

Feline Friendly Handling

Como citamos anteriormente, as duas técnicas “Fear Free” e “Feline
Friendly Handling” são aplicadas simultâneas, tendo uma eficácia maior.
Utilizando os mesmos conceitos a respeito do medo, vistos anteriormente,
a técnica “Feline Friendly Handling” está mais intimamente relacionado
com os felinos, utilizando as características comportamentais
especificas deles, e sua tradução significa “manipulação amigável
felina”, o exemplo mais comum da utilização dessa técnica é no
transporte do animal para o consultório do veterinário e da maneira como
o veterinário irá receber e iniciar a manipulação deste animal. Essa
técnica se inicia na residência do proprietário, antes de levar ao
veterinário, pois é um conjunto de fatores que iram evitar que o animal
fique com medo, estressado, levando a agressividade e consequentemente
tornando difícil a anamnese.

O importante então é demonstrar no momento da anamnese que o gato
está no comando, deixando-o se sentir o mais confortável possível, sem
“forçar” ele a ficar em certar posições e sim fazer ele querer ficar
naquela posição. No momento em que entrar no consultório é importante
abrir a caixa de transporte e deixar o animal explorar o local, com
todas as possibilidades de fugas fechadas. Se mesmo abrindo e esse gato
não sair para explorar não é necessário obrigar, pode-se retirar a tampa
de cima da caixa e realizar o exame físico dentro da mesma.

Referências

RODAN, Ilona. Understanding Feline Behavior and Application
for Appropriate Handling and Management. Cat Care Clinic & Behavior
Consultations for Cats, v. 25, n. 4, p. 178-188, nov. 2010.

AAFP Position Statement. Respectful handling of cats to
prevent fear and pain. Journal of Feline Medicine and Surgery, p.
569-573, mai. 2012. Disponível em:
<https://journals.sagepub.com/home/jfm>. Acesso em: 07 nov. 2018.

AAFP Position Statement. Transport of cats. Journal of Feline
Medicine and Surgery, p. 886-887, mai. 2012. Disponível em:
<https://journals.sagepub.com/home/jfm>. Acesso em: 07 nov. 2018.

AAFP Position Statement. AAFP and ISFM Feline-Friendly
Nursing Care Guidelines. Journal of Feline Medicine and Surgery, n. 14,
p. 337-349, mai. 2012. Disponível em:
<https://journals.sagepub.com/home/jfm>. Acesso em: 07 nov. 2018.

5 dicas para você arrasar na entrevista

A prova escrita que você está se preparando é apenas uma das etapas do processo seletivo dos programas de Residência e Aprimoramento. Após esta etapa classificatória, os candidatos são submetidos à entrevista de uma banca de professores, geralmente composta por docentes que serão seus preceptores na área escolhida.

O foco principal da entrevista será o seu curriculum, mas perguntas pessoais e outras questões serão pontuadas para te colocar em momentos de tensão.

Preparamos algumas dicas para você:

TENHA POSTURA

Você estará sendo avaliado desde o primeiro contato com a banca entrevistadora. Manter a postura concisa, cumprimentando a todos e mantendo o contato visual pode mostrar um candidato seguro do que quer.

CONHEÇA A ESPECIALIDADE E A FACULDADE ESCOLHIDA

Você será muito questionado sobre o que o levou a escolher aquela especialidade a que está concorrendo. Tenha repostas precisa. Evite colocações apaixonadas como “sempre sonhei em ser um anestesista”. Prefira resposta profissionais. Pode ocorrer ainda perguntas teóricas sobre a especialidade. Quando questionado sobre a escolha da faculdade discorra sobre a importância que a escola e seus corpo clinico representa.

POR QUE DEVEMOS ESCOLHER VOCÊ?

Você certamente será questionado dessa forma, muitas vezes de maneira direta, outras indiretamente. Relate seus pontos forte e não esqueças dos pontos fracos. Você é humano e possui defeitos, não os esconda.

SEJA PONTUAL E CUIDE DA SUA APRESENTAÇÃO PESSOAL
Chegar atrasado em um momento tão importante como esse não pode ocorrer, não é mesmo? Porém, isso pode acontecer. Chegue em média 15 minutos antes do horário programado e se preocupe com tua apresentação. De preferencia a trajes mais formais. Você não precisa estar de terno e gravata, mas também não é legal usar roupa de ginastica, por exemplo.

POR QUE VOCÊ ESTÁ OPTANTO PELA RESIDÊNCIA E NÃO OUTRA MODALIDADE DE PÓS GRADUAÇÃO COMO O MESTRADO, POR EXEMPLO?

Essa pregunta geralmente ocorre. Analise antecipadamente os prós e os contras de cada modalidade e reúna o máximo de informações sobre cada um deles. Com o conhecimento de cada modalidade, é na entrevista que você poderá explicar a  banca o porque de sua opção.

Tendo isso em mente, fique tranquilo e responda as perguntas com sinceridade. Afinal, você está ali porque viu alguma vantagem naquele programa, e se preparou muito bem para este dia!

5 dicas para você focar no estudo para a prova de residência

Passar na Residência, assim como entrar na universidade, vem se tornando essencial para atingirmos uma carreira profissional consistente. E, para atingirmos esse objetivo, tempo, dedicação e muitas outras coisas têm que estar na pauta. Pensando nisso, preparamos 5 dicas que podem te ajudar a se preparar para a prova da sua vida!

1. FAÇA DA SUA ESCOLHA UM OBJETIVO

Se quiser passar no vestibular, você deve transformá-lo no seu maior objetivo no momento. Focar nos estudos, é a única maneira de você alcança-lo. Portanto, planeje a sua preparação de maneira antecipada. Use meses anteriores ao concurso, e não dias. Se preparar gradualmente durante todo o ano vai fazer a diferença.

2. SUA FAMILIA DEVE SER O SEU APOIO

O seu estudo depende da compreensão e apoio daqueles que o rodeiam. Quando você passar, todos que vivem com você terão a satisfação de ter um aprovado dentro do lar. Convença-os disso e de que precisa conseguir o máximo de tempo para estudar. A aprovação deve ser uma meta e uma conquista da família. O carinho dos pais e do(a) namorado(a) conforta e diminui o estresse.

3. ABRA MÃO DE ALGUMAS ATIVIDADES
Agora é uma hora de foco em seu objetivo. Não adianta pular de galho em galho. Se seu objetivo é a aprovação, você não irá conseguir se dedicar aos estudos fazendo varias atividades em paralelo. Muitas vezes são necessárias escolhas, e sacrificar algumas atividades, como por exemplo estágios ou trabalhos paralelos.

4. TENHA PACIÊNCIA E PERSEVERANÇA
Somos ansiosos por natureza. Alguns mais, outros menos. As coisas quase nunca acontecem na velocidade de desejamos. Assim, para manter seu foco, enfrente com paciência as adversidades que possam surgir. Ter paciência e perseverança, com certeza irão te levar ao caminho que deseja.

5. INVISTA NA SUA PREPARAÇÃO
Com a crescente procura dos graduados pela residência, a concorrência cresceu exponencialmente. Porém, ainda não é habito na medicina veterinária buscar auxílio em cursos preparatórios ou livros sobre o assunto, como acontece na medicina humana. É provado em estudo cientifico, que um candidato que se preparou com cursos preparatórios, tem uma nota 4 vezes maior do candidato que não cursou. Buscar esse auxílio pode te direcionar de maneira importante a realmente o que estudar, trazendo uma grande revisão sobre a matéria além de te dar diversas dicas.

Guia de Programas de Residência em Medicina Veterinária 2020


Guia de Programas de Residência em Medicina Veterinária 2020

Ebook desenvolvido especialmente para você que pretende prestar prova de residência e quer manter-se atualizado.

  • Lista com principais programas de residência, credenciados ao CFMV
  • Programas separados por estados e cidades
  • Links para os sites dos programas
  • Datas dos últimos concursos
  • Número de vagas por área que cada programa oferece

Para fazer o download gratuito, basta preencher o formulário abaixo com suas informações. Após a submissão do formulário, aparecerá o link de download do ebook. Simples assim!