A busca por profissionais especializados é uma tendência crescente no mercado veterinário. Dentre essas especializações, uma das que mais obtém destaque é a dermatologia. Com a disseminação do conceito de posse responsável, os tutores modernos procuram cada vez mais por médicos veterinários, principalmente ao notarem algo fora do comum em seu pet.

Na maioria das vezes, sinais na pele são a primeira anormalidade a ser notada pelos proprietários, indicando uma alteração dermatológica.

Por decorrência destes fatores, a dermatologia é uma das áreas que mais vem obtendo destaque dentro da medicina veterinária.

O surgimento da dermatologia veterinária

A dermatologia veterinária deu seus primeiros passos ainda no século XIX, na Áustria, local onde as primeiras publicações foram registradas. No Brasil, a USP foi a pioneira no setor da dermatologia, já oferecendo atendimento clínico-dermatológico há cerca de 2 décadas, sob coordenação inicial do Prof. Dr. Carlos Eduardo Larsson.

Em março de 2000 foi fundada a Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária, congregando os dermatologistas veterinários de todo o país, visando o aprimoramento técnico e científico da especialização e seus associados.

Problemas dermatológicos

Muitas doenças de pele estão relacionadas a alergias e ectoparasitas (parasitas externos), que são os principais causadores de problemas dermatológicos. “Elas são normalmente causadas por falta de hidratação, limpeza adequada e sensibilidade da pele que fazem com que bactérias, fungos e ácaros se proliferem na pele e pelo causando coceira, lesões e queda dos pelos. Além disso, alguns animais possuem atopia, uma alergia sem causa específica que pode ser de alimentos, shampoo, produtos de limpeza, pó e até pólen das flores”, explica Natália Gouvêa, veterinária da clínica Soft Dogs e Cats.

Algumas raças de cães podem ter maior predisposição a desenvolverem problemas dermatológicos, especialmente os que possuem pelagem longa. Juliana Trigo, analista técnica Pet da Ourofino, empresa integrante da COMAC, alerta que para estes cães, a escovação diária é algo fundamental para a prevenção destas doenças. Alimentos de boa qualidade, banhos frequentes e utilização de um shampoo de hidratação também são fatores importantes quando se trata de prevenção.

A maioria das doenças dermatológicas não apresentam risco de óbito ao paciente, a não ser nos casos de câncer de pele. Entretanto, tentativas terapêuticas mal sucedidas podem agravar o quadro inicial e, ainda, mascarar a real causa primária, dificultando e retardando o processo de resolução da doença, afirma a Dra. Cibele Nahaz Mazzei, dermatologista veterinária.

Mercado de trabalho

De acordo com um levantamento realizado pela COMAC e SIDAN, cerca de 32% da ida de cães ao médico veterinário são por motivos de doenças dermatológicas. Considerando essa porcentagem, podemos concluir que este setor é uma área em ascensão no mercado de trabalho.

A dermatologia veterinária é uma área abrangente e com muitas possibilidades, sendo uma opção interessante para veterinários que estão prestes a ingressar no mercado de trabalho e buscam por uma especialização.

Se interessou pelo assunto? Então clique aqui para acessar o site da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária e fique por dentro das últimas atualizações dessa especialidade em expansão na medicina veterinária.

Fontes: DermatopetCanal do PetCOMACSINDAN, SBDV Dra. Cibele Nahaz Mazzei

Recommended Posts

No comment yet, add your voice below!


Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *