Como uma análise de sua rotina pode fazer a diferença em seus estudos

Uma rotina organizada é a base para conquistar um novo objetivo. Você já parou para pensar sobre como isso pode influenciar os seus estudos?

Confira o artigo a seguir para saber mais sobre a análise de rotina e como ela pode se tornar uma aliada para que você obtenha sucesso nos seus objetivos de carreira como veterinário(a).

No que consiste uma análise de rotina?

Essa análise tem o objetivo de promover um melhoramento contínuo em sua rotina, visando aprimorar sua organização, disciplina, tomadas de decisão, definição de novas metas e limites a serem seguidos.

Após algum tempo fazendo este exercício, você perceberá que em determinado momento todas suas tarefas estarão fluindo nos momentos certos.

É certo que seguir uma rotina não é fácil, entretanto, exaustão e estresse são coisas que devem ser minimizadas ao máximo para que você consiga ter um bom desempenho em suas atividades, e esse também é um ponto importante abordado na análise.

Por onde começar

Primeiramente, defina metas a serem cumpridas a longo prazo. Estas irão reger boa parte dos objetivos que você precisa alcançar, podendo ser a aprovação na residência veterinária ou qualquer outro objetivo pessoal.

Por exemplo: ser aprovado em um processo seletivo.

Tome um momento para pensar sobre seu ritmo de trabalho. Afinal, de nada irá servir este processo se você não se ater ao seu ritmo de trabalho, tendo em mente que se você não respeitar suas limitações, serão gerados estresse e exaustão.

Para definir isso, você pode calcular o tempo que você leva para desempenhar a tarefa sem estar sob pressão. Então, use o resultado obtido como referência para saber o quanto você consegue produzir em um determinado espaço de tempo.

– Confira este artigo sobre a análise SWOT para ajudá-lo a definir uma meta.

Definindo suas tarefas

Agora que você já pensou sobre suas metas e seu ritmo de trabalho, é hora de definir quais tarefas você precisa desempenhar no dia-a-dia para que seu objetivo final seja bem sucedido.

Para ter noção do que precisa ser feito, crie tópicos com todas as atividades principais, de maneira geral, que você precisa desempenhar durante a semana (é importante incluir seus momentos de lazer). Por exemplo:

Feito isso, é hora de desmembrar estes tópicos em subtópicos, definindo as tarefas específicas a serem feitas dentro de cada tópico. Por exemplo:

Obs: você pode ser ainda mais específico na discriminação das tarefas a serem organizadas.

Agora, defina quanto tempo e em quais dias da semana você vai desempenhar cada coisa. Isso você pode fazer à moda antiga, escrevendo em uma agenda, ou utilizando inúmeras ferramentas online que encontramos hoje. Uma muito boa, que possui recursos como lembretes, adição de endereços e até compartilhamento de informações é a Google Agenda.

Como no exemplo definimos que a meta principal é ser aprovado em um processo seletivo (residência), essa tarefa deve ser priorizada quando a distribuição de tempo para cada atividade for feita.

Seja detalhista e sempre mantenha sua agenda atualizada quanto a eventos não previstos anteriormente.

 

Imagem1

Dando continuidade à rotina após a análise

Após algumas semanas seguindo o cronograma que você estabeleceu, pode ser que problemas venham à tona, como por exemplo: trabalhos acumulados e cansaço excessivo. Se isso ocorrer, será necessário rever todo o processo para verificar onde está acontecendo a falha. A gestão do seu tempo de maneira correta é muito importante para o sucesso do processo como um todo.

Lembre-se: se a sua prioridade for o estudo, é nele que você deve focar. Em alguns momentos, é possível que você precise tomar algumas decisões difíceis, como deixar de rever um grupo de amigos para seguir o cronograma de sua rotina e colocar a matéria atrasada em dia.

– Caso você queira se aprofundar ainda mais, analisar fatores internos/externos e suas forças/fraquezas pessoais, clique aqui para conferir nosso artigo sobre análise SWOT.

Conclusão

O objetivo principal da análise de rotina é definir claramente os períodos de início e fim das atividades a serem desempenhas, como se fosse um mapa, facilitando a execução e permitindo a percepção eventuais falhas no processo.

Além de complementar sua organização, esse estudo também vai ajudá-lo na tomada de decisões dentro dos limites de suas prioridades.

A partir da organização de suas tarefas, você obterá resultados melhores não somente com seus estudos, mas também em suas demais atividades.

Dica: para aumentar ainda mais o seu desempenho, além da análise de rotina, é interessante que você construa um ciclo de estudos específico para isso, voltado às suas necessidades. Clique aqui para conferir algumas dicas sobre como montar um ciclo de estudos que seja funcional.

Você já ouviu falar em análise SWOT? Conheça essa técnica de planejamento estratégico que pode mudar a sua vida

A análise SWOT é uma ferramenta poderosa de planejamento estratégico que pode ser usada para organizar novos projetos pessoais ou profissionais, como por exemplo, a aprovação em um processo seletivo, podendo ser a prova da residência.

Mas afinal, o que quer dizer a sigla SWOT?

Segundo Philip Kotler, professor universitário estadunidense especialista em administração:

“A avaliação global das forças, fraquezas, oportunidades e ameaças é denominada análise SWOT (dos termos em inglês strengths, weaknesses, opportunities, threats.)

Em português, a matriz SWOT pode ser traduzida para Análise das Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças, sendo popularmente chamada de análise FOFA ou matriz FOFA.

E no que consiste a análise SWOT?

A matriz SWOT, ou FOFA, é uma ferramenta de gestão de novos projetos, sendo uma estratégia de aplicabilidade fácil e rápida, com impactos positivos já a curto prazo.

A análise é feita a partir de uma análise de fatores internos e externos.

As forças e as fraquezas fazem parte da análise interna, tendo seus pontos positivos e negativos que devem ser interpretados como relevantes ou não para o objetivo.

Na maioria das vezes, os fatores internos podem ser modificados, já que são coisas que estão sob seu controle, diferentemente dos fatores externos, que são baseados em oportunidades e ameaças.

Julga-se como fator externo tudo que foge de seu controle, podendo variar das mais diversas formas. Por exemplo: se você perde algumas horas de seu dia no trânsito para ir ao trabalho, isso é um fator externo, supondo que você dependa de seu trabalho para se manter e não possua outra alternativa, senão exercê-lo todos os dias.

O resultado dessa análise resulta em uma matriz 2×2, que aborda todos os pontos de análise quanto os fatores internos/externos e positivos/negativos. Analisando essa matriz, você obtém um panorama de possibilidades que podem determinar o sucesso do seu projeto.

(Imagem de Rockcontent)

Para que serve a análise SWOT?

Em poucas palavras, a matriz FOFA permite tomar escolhas com maior chance de acerto, proporcionando ideias de estratégias diferentes para que seu projeto seja bem sucedido.

Ao examinar os fatores internos, é possível identificar suas principais vantagens, que podem ser potencializadas e indicam que você está progredindo. Quanto as fraquezas, a partir da análise você pode julgar o que precisa ser feito para melhorar em prol do sucesso a longo prazo de seu projeto. Como já dizia Sócrates, “conhece-te a ti mesmo”.

Por mais que existam muitas coisas fora de seu controle no ambiente externo, com a análise, é possível que você se planeje para contornar eventuais obstáculos.

A matriz SWOT possibilita que você gere insights que provavelmente não haviam sido notados antes. Adotando assim novas medidas que evitam que seu projeto seja prejudicado.

Como fazer a análise SWOT?

Como já citado anteriormente, a aplicação da análise SWOT é bastante simples. Veja este passo a passo de como aplicar o SWOT em um novo projeto:

1. Faça um brainstorm sozinho(a) ou com outras pessoas que irão participar projeto;

Agilidade é a definição perfeita para essa etapa. Não se prenda a dados e referências 100% precisas, como se estivesse fazendo um trabalho acadêmico. O objetivo é levantar informações e pontos importantes do projeto, de maneira realista a suas possibilidades do momento.

2. Defina seus fatores internos;

A análise precisa iniciar voltada para você mesmo, que conhece suas forças e fraquezas. Essa análise possibilita colocar em vantagem ou desvantagem em relação a seus concorrentes. Então, por exemplo: se pretende prestar um processo seletivo (como a prova da residência), é importante ter informações sobre seus concorrentes. Por isso, embora a análise interna seja focada em você, é importante ficar atento a outras pessoas que visam o mesmo resultado.

Veja alguns exemplos de características para analisar fatores internos:

  • Seu ambiente pessoal e familiar;
  • Questões de saúde, tanto físicas quanto mentais;
  • Recursos financeiros;
  • Gestão de tempo livre;
  • Capacidade de produção;
  • Limitações pessoais;
  • Materiais e estrutura necessários para o projeto.
3. Defina seus fatores externos;

Estes fatores não podem ser controlados por você, ou seja, eles apenas estão lá. Entretanto, é importante analisá-los para estar preparado(a) em eventuais imprevistos ou surgimento de novas oportunidades.

Os fatores externos podem ser divididos em duas categorias: presentes no microambiente e macroambiente.

O microambiente refere-se às influências próximas a você. Essas podem ser pessoas que compartilham da mesma esfera social que você, ou até mesmo seus concorrentes.

Já o macroambiente diz respeito ao que está além do seu campo de interação, envolvendo questões naturais, demográficas, econômicas e socioculturais.

4. Monte a matriz;

Após realizar a etapa 1, aponte todos os dados levantados na matriz 2×2 que foi mostrada anteriormente, isso proporcionará uma visualização rápida de todas as informações de que você precisa.

Nos quadrantes superiores da matriz, ficam os fatores internos (forças e fraquezas). Já nos quadrantes inferiores, coloque a análise externa (oportunidades e ameaças). Evite informações desnecessárias e textos muito longos, priorizando apenas o que é mais relevante para obter sucesso em seu projeto.

A partir daí, é possível ter uma noção clara do que você precisa analisar e fazer conexões entre essas informações para criar estratégias.

5. Defina a viabilidade do projeto;

A análise SWOT é um excelente indicativo para você tirar seu projeto do papel, entretanto, a partir dela também é possível visualizar se o que você idealizou é viável ou não.

Caso você trace sua matriz e conclua que agora não seja um bom momento para iniciar, vale a pena adotar medidas para reverter este quadro e começar quando você conseguir atender a todos os requisitos mínimos que esse novo projeto vai demandar.

6. Trace uma estratégia inicial.

Por fim, utilize todo o planejamento feito até aqui para traçar sua primeira estratégia.

De maneira geral, sua estratégia precisa focar os seguintes objetivos:

  • Pensar em suas forças que podem ser impulsionadas;
  • Pensar em uma maneira de controlar, ou até mesmo superar seus pontos fracos (se tratando de seu objetivo);
  • Desenvolver um planejamento que permita aproveitar novas oportunidades;
  • Reduzir o risco de fatores que ameaçam o desenvolvimento de seu projeto.

Cruze todos quadrantes com dados da matriz para pensar em novos objetivos e estratégias a serem desenvolvidas. Por exemplo:

  • Forças + Oportunidades
  • Forças + Ameaças
  • Fraquezas + Oportunidades
  • Fraquezas + Ameaças

Conclusão

A análise SWOT é rápidafácil e útil.

Além de facilitar o processo de tomada de decisão, a matriz FOFA é um excelente meio de você se autoconhecer e enxergar suas principais qualidades e pontos a serem melhorados.

Com as estratégias, é possível organizar o tempo que você tem disponível para trabalhar em seus projetos, e ao mesmo tempo, estar preparado para obstáculos que possam surgir em sua trajetória.

Gostou da análise SWOT? Então faça um levantamento de dados para construir sua primeira matriz e use-a para dar seu primeiro passo rumo aos seus objetivos!

Dicas para um Carnaval seguro com seu Pet

O verão chegou e junto com ele a melhor e maior festa de todas para os Brasileiro e para alguns do mundo. Mas para curtir essa festa com segurança e na companhia do nosso amigo peludo, precisamos adotar alguns hábitos! Então vamos para as principais dicas para você curtir a folia com a presença do seu melhor amigo!!

Diferente de nós os cães e gatos não tem glândulas sudoríparas capazes de manter o corpo refrigerado de forma adequada, por isso é muito comum vermos os cães ofegantes de língua de fora em dias muito quentes. Assim se faz necessário evitar passeios e locais sem sombra nos horários onde a radiação solar é muito intensa, das 10 as 16 horas. Outra coisa que devemos evitar são roupas muito quentes e fechadas e focinheiras de nylon e que não permita essa troca de calor pela respiração.

Isso não significa que devemos deixar de levar nosso melhor amigo para passeios! Além do cuidado com a temperatura e radiação solar, temos que cuidar muito com a alimentação e a ingestão hídrica. Sempre deixe água disponível tanto em casa quanto na rua, não esqueça de colocar uma garrafinha de água na bolsa para passeios longos e ou distantes de casa. Uma dica para deixar a água sempre fresquinha em casa é optar por potes e bebedouros de louça ou barro. Outra coisa bem legal e que eles amam, são cubos de gelo, além de deixar a água sempre fresca fica muito mais divertido.

Alimentos úmidos como sachês e latinhas são mais que apropriados para manter a hidratação dessa galerinha, além de que eles adoram. Hoje no mercado existem diversas marcas e sabores, basta você encontrar qual seu amigão mais gosta, além do formato em sachê ser muito prático para passeios. Mas não exagere na quantidade, como tudo na vida, tudo em excesso não faz bem a ninguém e também pode deixá-los um tiquinho acima do peso, o que não é legal principalmente nessa época do ano. Então se você tem dúvida na quantidade procure um médico veterinário para poderem juntos adequar melhor essa dieta.

Nunca devemos deixá-los presos dentro do carro sozinhos, nem mesmo se for rapidinho. A temperatura interna do carro pode aumentar muito e em pouco tempo, muitas das vezes essa oscilação de temperatura pode ser fatal para animais de companhia e crianças. Então sempre leve guias para que eles possam acompanhá-los ou deixe-o no carro com um responsável e vidros abertos.

Outra coisa que ajuda muito é o uso de ventilador, janelas abertas e ar condicionado, assim o ambiente sempre se mantém fresco e agradável. Mesmo assim muitos cuidados devem ser tomados. Pelos longos podem enroscar facilmente nas hélices do ventilador e causar danos às vezes irreversíveis e muito dolorosos. Se você mora em apartamento o ideal é que seja colocado telas de proteção nas janelas para assim seu cãozinho e ou gatinho possa ficar curtindo um arzinho ou até mesmo apreciando a vizinhança. O uso de umidificador para o ambiente se faz necessário em qualquer situação mesmo que chova todos os dias, manter o ambiente úmido é muito importante principalmente quando se faz uso do ar condicionado.

Gostou das nossas dicas de verão?
Então bora colocar a fantasia, água e uma sachê na bolsa e curtir a Folia com seu amigo peludo de bigodes!

Alimentação para atender as exigências nutricionais do cão atleta

Alimentação Super Premium para atender as exigências nutricionais do cão atleta.

Com o passar dos anos, os animais tiveram mudanças em relação a sua alimentação, pois, deixaram de ser os animais de estimação para ser um membro da família e devido a isso, a busca dos tutores por alimentos que proporcionem mais bem-estar e longevidade aos pets está cada vez maior. As categorias de alimentos mais procuradas são as de melhor qualidade, que atendam às exigências nutricionais além de trazer benefícios extras.

Pensando nessa domesticação dos pets, muitos animais praticam atividades físicas com seus tutores diariamente, seja em corridas, caminhadas, muitas brincadeiras ou então podem até participar de campeonatos e competições de diversas modalidades, tem também aqueles que praticam atividades físicas de alta performance a trabalho, como é o caso dos cães pastores e cães policiais.

Quem tem um cão atleta ou pretende ter, sabe que eles necessitam de uma alimentação completa e balanceada, rica em nutrientes de excelente absorção, para atender aos altos requerimentos energéticos que demandam.

Os alimentos das linhas Super Premium são os indicados para cães nessa faixa de atividade. Eles são formulados com ingredientes nobres com alta absorção de nutrientes pelo organismo do animal, para atender a todos os requerimentos que um cão atleta necessita.

São ricos em proteínas com alto valor biológico e digestibilidade para fornecer energia, além de auxiliar na manutenção da musculatura, estrutura corporal e importante ação na melhora da imunidade!

Outro benefício muito importante a se destacar é em relação à saúde articular do cão atleta. Geralmente os alimentos para raças grandes possuem em sua formulação Colágeno + Condroitina e Glicosamina, tendo ação de forma conjunta para melhorar a saúde articular e minimizar a degradação da cartilagem, contribuindo assim para o fortalecimento das articulações.

O colágeno também juntamente com os ômegas 3 advindos da farinha de algas, possuem ação anti-inflamatória que agregam ainda mais na proteção de possíveis inflamações.

É muito importante lembrar em relação a quantidade de consumo diária de alimentos, quanto mais qualidade o alimento possuir, menor vai ser a quantidade a ser ingerida e melhor será a absorção dos nutrientes!

O cálculo de quantidade de alimento fornecido, precisa ser adequado em relação ao nível de atividade física do animal.

A tabela de consumo diário presente no verso das embalagens é calculada com base em um animal com atividade física “moderada”, então é preciso adaptar essa quantidade de acordo com a necessidade do cão atleta.

Para o calculo da ração ideal para seu pet, disponibilizamos aqui uma calculadora que irá te orientar https://specialdog.com/calculadora/

E aí? Se animou para colocar o seu amigo em uma caminhada ou corrida?


Autora:  Ana Letícia Poletto

Analista de treinamento técnico.

O texto que você acabou de ler, é um oferecimento da Special Dog

DIA DE DARWIN – A CONTRIBUIÇÃO DO BRASIL PARA A TEORIA DA EVOLUÇÃO DAS ESPÉCIES

Hoje, dia 12 de fevereiro, se comemora o Dia de Darwin. Charles Darwin nasceu neste dia em 1809, e foi um dos cientistas mais importantes da história. Naturalista inglês, ele revolucionou os conceitos sobre a evolução das espécies por meio da teoria da seleção natural.

 

Os princípios básicos das ideias de Darwin podem ser resumidos no seguinte modo:   

  • Os indivíduos de uma mesma espécie apresentam variações em todos os caracteres, não sendo portanto idênticos entre si.

  • Todo organismo tem grande capacidade de reprodução, produzindo muitos descendentes. Entretanto, apenas alguns dos descendentes chegam à idade adulta.

  • número de indivíduos de uma espécie é mantido mais ou menos constante ao longo das gerações.

  • Assim, há grande “luta” pela vida entre os descendentes, pois apesar de nascerem muitos indivíduos poucos atingem a maturalidade, o que mantém constante o número de indivíduos na espécie.

  • Na “luta” pela vida, organismos com variações favoráveis ás condições do ambiente onde vivem têm maiores chances de sobreviver, quando comparados aos organismos com variações menos favoráveis.

  • Os organismos com essas variações vantajosas têm maiores chances de deixar descendentes. Como há transmissão de caracteres de pais para filhos, estes apresentam essas variações vantajosas.

  • Assim, ao longo das gerações, a atuação da seleção natural sobre os indivíduos mantém ou melhora o grau de adaptação destes ao meio.

 

Em dezembro de 1831, aos 22 anos, Darwin zarpou a bordo do navio H.M.S. Beagle para realizar anotações, coletar e catalogar dados. Sua primeira parada, já em janeiro do próximo ano, foi na Ilha do Cabo Verde. Darwin tinha a função de ficar em terra, coletando material da flora e da fauna, espécies até então desconhecidas pelos europeus.

 Darwin no Brasil  

O H.M.S. Beagle teve uma consistente passagem pelo Brasil, vindo de Cabo Verde. Aqui ele passou por Fernando de Noronha e, em fevereiro, aportou em Salvador. Em abril, chegou ao Rio de Janeiro, onde Darwin permaneceu, enquanto seu navio retornava para Salvador para rever cálculos cartográficos. Ali realizou uma série de observações.

 

Acredita-se que a passagem Charles Darwin pelo Brasil pode ter sido muito mais importante para a Teoria da Evolução das Espécies do que se costuma imaginar.. Foi em solo brasileiro, há 185 anos, que ele se deparou pela primeira vez com a diversidade da floresta tropical e também se chocou com a escravidão – reforçando suas convicções abolicionistas de que todos os seres humanos compartilham a mesma linhagem sanguínea em razão da ancestralidade comum. 

Por um lado, Darwin ficou encantado com a nossa biodiversidade. A Mata Atlântica foi o bioma mais rico que ele conheceu. Por outro, ficou revoltado com a escravidão. Sua família lutava contra o comércio de escravos”, afirma o biólogo Nélio Bizzo, doutor em Educação pela Universidade de São Paulo (USP) e autor de Darwin – Do Telhado das Américas à Teoria da Evolução (2009). 

 

Os dois pontos, segundo especialistas, foram cruciais para a elaboração da revolucionária teoria que separou, pela primeira vez, a ciência da religião, lançada, em 1859, no livro A origem das espécies. 

 .

Fontes: TerraBBCUOL Educação e Só Biologia.

5 de Fevereiro: Dia do Dermatologista

A busca por profissionais especializados é uma tendência crescente no mercado veterinário. Dentre essas especializações, uma das que mais obtém destaque é a dermatologia. Com a disseminação do conceito de posse responsável, os tutores modernos procuram cada vez mais por médicos veterinários, principalmente ao notarem algo fora do comum em seu pet.

Na maioria das vezes, sinais na pele são a primeira anormalidade a ser notada pelos proprietários, indicando uma alteração dermatológica.

Por decorrência destes fatores, a dermatologia é uma das áreas que mais vem obtendo destaque dentro da medicina veterinária.

O surgimento da dermatologia veterinária

A dermatologia veterinária deu seus primeiros passos ainda no século XIX, na Áustria, local onde as primeiras publicações foram registradas. No Brasil, a USP foi a pioneira no setor da dermatologia, já oferecendo atendimento clínico-dermatológico há cerca de 2 décadas, sob coordenação inicial do Prof. Dr. Carlos Eduardo Larsson.

Em março de 2000 foi fundada a Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária, congregando os dermatologistas veterinários de todo o país, visando o aprimoramento técnico e científico da especialização e seus associados.

Problemas dermatológicos

Muitas doenças de pele estão relacionadas a alergias e ectoparasitas (parasitas externos), que são os principais causadores de problemas dermatológicos. “Elas são normalmente causadas por falta de hidratação, limpeza adequada e sensibilidade da pele que fazem com que bactérias, fungos e ácaros se proliferem na pele e pelo causando coceira, lesões e queda dos pelos. Além disso, alguns animais possuem atopia, uma alergia sem causa específica que pode ser de alimentos, shampoo, produtos de limpeza, pó e até pólen das flores”, explica Natália Gouvêa, veterinária da clínica Soft Dogs e Cats.

Algumas raças de cães podem ter maior predisposição a desenvolverem problemas dermatológicos, especialmente os que possuem pelagem longa. Juliana Trigo, analista técnica Pet da Ourofino, empresa integrante da COMAC, alerta que para estes cães, a escovação diária é algo fundamental para a prevenção destas doenças. Alimentos de boa qualidade, banhos frequentes e utilização de um shampoo de hidratação também são fatores importantes quando se trata de prevenção.

A maioria das doenças dermatológicas não apresentam risco de óbito ao paciente, a não ser nos casos de câncer de pele. Entretanto, tentativas terapêuticas mal sucedidas podem agravar o quadro inicial e, ainda, mascarar a real causa primária, dificultando e retardando o processo de resolução da doença, afirma a Dra. Cibele Nahaz Mazzei, dermatologista veterinária.

Mercado de trabalho

De acordo com um levantamento realizado pela COMAC e SIDAN, cerca de 32% da ida de cães ao médico veterinário são por motivos de doenças dermatológicas. Considerando essa porcentagem, podemos concluir que este setor é uma área em ascensão no mercado de trabalho.

A dermatologia veterinária é uma área abrangente e com muitas possibilidades, sendo uma opção interessante para veterinários que estão prestes a ingressar no mercado de trabalho e buscam por uma especialização.

Se interessou pelo assunto? Então clique aqui para acessar o site da Sociedade Brasileira de Dermatologia Veterinária e fique por dentro das últimas atualizações dessa especialidade em expansão na medicina veterinária.

Fontes: DermatopetCanal do PetCOMACSINDAN, SBDV Dra. Cibele Nahaz Mazzei

Carreira veterinária: o maior desafio é você

Muitos são os desafios enfrentados diariamente e na carreira veterinária não é diferente. O desafio começa muito antes da graduação. Ao se deparar com a escolha do curso que vai definir as bases da vida profissional – pelo menos no início – é preciso colocar na balança todos os prós e contras. A partir daí começa a primeira mudança: o frio na barriga é inevitável, mas a ansiedade de se aventurar no desconhecido vence o medo inicial e dá entrada para uma das experiências mais inesquecíveis do começo da sonhada profissão.

De acordo com o dicionário Priberam online, ‘‘mudar’’ significa fazer ou sofrer alteração, transformar, modificar, substituir, renovar, dar outra orientação, direção ou sentido. A mudança é difícil e, por muitas vezes, complexa. Sair da zona de conforto, gera incerteza, e isso dá medo. Mas como seres em constante modificação, os seres humanos aprendem a se adaptar ao diferente rapidamente, fazendo com que o diferente se torna o “comum” novamente.

GRADUAÇÃO

O estudante e o recém-formado tendem a se pressionar para conquistar a vaga desejada e, ao mesmo tempo, se auto sabotar por não aparentar confiança na hora de fazer uma entrevista de estágio ou emprego. Antes de realizar qualquer entrevista, ou até mesmo, encaminhar o currículo para uma empresa, é preciso fazer um trabalho de autoconhecimento, conhecer os pontos fracos e fortes para direcionar a carreira e escolhas profissionais. O mercado de trabalho tende a procurar um profissional confiante e competente, que está em constante busca do conhecimento.

Cursos preparatórios, estágios e trainees são ideais para que o estudante conquiste mais know-how na sua área de formação.  Para alguns cursos de graduação, como Medicina Veterinária, por exemplo, existe ainda a residência veterinária, que contribui para que o graduando ou recém-formado, que ainda não decidiu a área de atuação, tenha uma vivência ainda maior na profissão e, assim, conquiste mais segurança e sabedoria na hora de competir no mercado de trabalho.

PLANEJAMENTO É ESSENCIAL PARA A CARREIRA VETERINÁRIA

Para pensar em uma carreira veterinária, é preciso se planejar. O medo faz parte do trajeto até onde se almeja, mas com um bom planejamento e foco, o caminho pode ficar menos complicado de se percorrer.

Os obstáculos durante a consolidação da carreira profissional são inevitáveis, mas ao se adaptar às constantes modificações e desafios de maneira ágil e rápida, o medo do desconhecido se torna mais um ponto forte que destaca o profissional no meio de tantos outros em um mercado de trabalho que tem como foco alguém confiante e pronto para aceitar novos desafios.

Conheça nossos cursos! Com certeza irão te ajudar nessa fase de início de carreira.

Oncologia Veterinária: Especialidade em ascensão é focada no diagnóstico e tratamento de câncer em animais.

O câncer de mama é uma das doenças mais comuns em animais. É ainda mais frequente em cães e gatos, sendo o segundo mais comum diagnosticado em cães e majoritariamente em cadelas.  Cerca de 50% dos tumores mamários identificados nesses animais são malignos. Por essa maior incidência de diagnósticos, a Oncologia Veterinária – especialidade que realiza o tratamento da doença ou neoplasia nos animais – está em constante evolução, para garantir maior probabilidade de diagnóstico para que haja um resultado mais eficaz no tratamento. “Houve uma melhora muito significativa nos exames de imagens e laboratoriais, além do aperfeiçoamento dos médicos veterinários que conseguem diagnosticar a doença precocemente’’, disse a professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Positivo e professora de cursos de pós-graduação em Oncologia Veterinária, Sabrina Marin Rodgheri. ‘‘Com a realização desse diagnóstico mais cedo a probabilidade de recuperação é ainda maior”, explica.

O câncer de mama acomete, no geral, animais mais velhos (com cerca de 10 anos de idade), sendo mais propenso em animais que possuem todo o aparelho reprodutivo – as fêmeas – e que foram castrados após numerosos cios. Para a médica veterinária Sabrina Marin, é de extrema importância a castração precoce como método de evitar o câncer de mama nos cachorros. “O procedimento realizado durante o primeiro e segundo cio é indicado para todas as fêmeas, pois garante a segurança e diminui as chances de ter um câncer no futuro’’, afirmou a especialista. ‘‘Além disso, vale ressaltar que a vacina, uma boa ração e visitas constantes no veterinário, também são importantes para a qualidade de vida de um animal”, concluiu.

Especialização em Oncologia Veterinária

Para seguir carreira na área de Oncologia Veterinária é preciso mais do que a graduação. Em constante crescimento, a Oncologia Veterinária é indicada para alunos que se interessam pela especialidade. Para a professora Sabrina Marin Rodgheri, é importante que cursos de especialização e residência sejam feitos para aperfeiçoar ainda mais o conhecimento do estudante que deseja ingressar no mercado de trabalho. “A residência veterinária é uma especialização no período de dois anos de formação, onde o estudante vai ficar totalmente inserido na área’’, destacou. ‘‘Durante esses dois anos, os alunos acompanham toda a parte direcionada para o diagnóstico e o tratamento dos pacientes com câncer”, finalizou a professora.

Para mais informações sobre Oncologia Veterinária e para saber sobre cuidados necessários com os animais para prevenir doenças como câncer de mama, ouça o podcast da VeteduKa. Nele, você escuta na íntegra a entrevista sobre o tema, feita com a professora do curso de Medicina Veterinária da Universidade Positivo e professora de cursos de pós-graduação em Oncologia Veterinária, Sabrina Marin Rodgheri.

Tumores mamários em pequenos animais, uma realidade cada vez mais presente

O aumento da qualidade de vida dos pets, com a associação de maior observação do proprietário e busca precoce por atendimento veterinário, aliados a melhora significativa da alimentação, trouxerem uma expectativa de vida muito maior. Junto com esse aumento, doenças que se relacionam com a idade avançada acabam ficando mais frequente em nossa rotina.

As neoplasias mamárias são os tumores mais frequentes em cadelas e o terceiro na lista de tumores mais comuns em felinos. Esses números de incidência já nos mostram a importância em se falar do tema, principalmente para gerar uma consciência na população em geral a fim de buscar auxilio veterinário, e diagnóstico precoce. Os tumores mamários em cães machos tem baixa incidência, porém maior malignidade.

EXISTE PREDISPOSIÇÃO?

É sabido que os hormônios sexuais desempenham papel fundamental no desenvolvimento dos tumores de mama. Ainda é controverso o valor da supressão desses hormônios conseguidos através da ovariohisterectomia, porém é uma indicação atual a esterilização já no primeiro ou segundo cio. Estudos relacionados a esse tema são comuns e vão nos ajudar a tomar a melhor escolha para nossos pets no futuro.

Assim como o tumor de mama em mulheres, os tumores em animais também tem melhores prognósticos quando descobertos precocemente. Porém, o prognóstico varia muito conforme a classificação e características do tumor. Em um estudo na Universidade Federal de Minas Gerais, o tamanho tumoral foi um importante fator prognóstico, sendo associado com a sobrevida global das pacientes. A maioria das cadelas diagnosticadas com neoplasias malignas (83%) apresentavam estadiamentos clínicos iniciais, enquanto 17% apresentavam metástases regionais ou à distância no momento do diagnóstico, denotando menor sobrevida global. O carcinoma em tumor misto foi o tipo histológico mais frequente e de melhor prognóstico. Os carcinomas sólidos, carcinomas micropapilares e carcinossarcomas foram considerados tipos histológicos de comportamento biológico agressivo, sendo associados a pior prognóstico e menor sobrevida global.

Em cadelas não é observado uma predisposição racial, embora algumas raças puras tem maior incidência. Em gatos também não observamos essa predisposição no Brasil, embora é relatado a raça Siamesa em outros países.

QUAIS SINAIS DEVO OBSERVAR QUE PODEM INDICAR NEOPLASIA? 

A neoplasias de mama são pequenos nódulos na cadeia mamária. Sempre é importante palpar essa região com frequência. Isso não é difícil principalmente quando estamos fazendo carinho neles. Sempre que observado, procure um auxilio veterinário o antes possível.

Porém, uma cultura que devemos incorporar, é a cultura da prevenção. O velho ditado que “prevenir é o melhor remédio” é muito real e atual. Devemos orientar nossos tutores a buscar a prevenção principalmente com a faixa etária idosa, que pode variar de espécia e até mesmo de raça. Mas é consenso acima de 10 anos já ser preocupante, pois é a faixa etária mais atingida. Exames clínicos e exames de imagem, podem mostrar precocemente alterações em mama e suas complicações e obtermos um tratamento adequado e com qualidade de vida 

MODALIDADES DE TRATAMENTO

O tumor mamário é realmente um tipo de câncer muito agressivo e preocupante. Porém, com o avanço das modalidades terapêuticas, hoje conseguimos realizar tratamentos onde o paciente possa obter uma melhor qualidade de vida.

Tumores de mama podem formar nódulos muito grandes, gerando desconforto e também úlceras gerando dor e contaminação. A modalidade de tratamento indicada após a localização de uma lesão tumoral em mama é a cirurgia.

É consenso a retirada de toda a cadeia mamaria, visando a máxima extração dos nódulos e seus gânglios próximos, que muitas vezes podem já estar acometidos. É muito comum a retirada das duas cadeias mamárias, em tempos cirúrgicos separados.

A quimioterapia também é uma modalidade usada para controlar e prevenir possíveis metástases, ou seja, a formação do câncer em outros órgãos, como o pulmão.

Portanto, se você leu esse artigo, e conhece alguém que possa estar passando por isso, compartilhe o link!

Dia mundial dos animais! Uma data de reflexão sobre o impacto da mão humana aos animais.

Hoje, 4 de outubro, se comemora o dia mundial dos animais. Data essa escolhida da década de 30 do século passado na Europa, em uma convenção de ecologistas. A data tem um sentido, ser o dia de São Francisco de Assis, um amante da natureza padroeiro dos animais e do meio ambiente.

Nessa data de hoje, clínicas e hospitais tem a tradição de convidar os animais de companhia e seus tutores para uma benção.

A VIDA DOS ANIMAIS EM RISCO!

Mas muito mais que os animais de companhia, como cães e gatos, hoje se comemora a importância de todas as espécies. Devemos celebrar as que são presentes todos os dias alegrando as nossas vidas, aos animais de produção que nos alimentam, e aos que quase nem lembramos, mas que fazem com que nosso universo funcione. Ontem mesmo comemoramos o dia da Abelha, inseto essencial para polinização dos alimentos que consumimos diariamente, e que devido a ações indiscriminadas de pesticidas em lavouras, ou desmatamento, sofrem constantemente mortes em massa.

Lembrar dos animais nesse dia nos levam a uma reflexão do impacto negativo que nossas ações humanada provocam no meio ambiente. Nos últimos anos, aumentou consideravelmente o número de animais emaçados de extinção ou extintos. Em uma década, cresceu 87% a lista de bichos ameaçados de extinção. Em 2008, o Ministério do Meio Ambiente lançou um catálogo com 627 animais em risco. Hoje, o número chegou a 1.173.

O DRAMA DOS PLÁSTICOS NO OCEANO

A cada ano, oito milhões de toneladas do material vão parar nas águas dos oceanos, levando 100 mil animais marinhos à morte, em média, conforme a Organização das Nações Unidas (ONU) Meio Ambiente. Estima-se que até 2050, pode haver mais plástico que peixes nos mares, devido ao grande número de dejetos de hoje e do futuro, associados a longevidade de mais de 200 anos para a degradação desse tipo de material.

A EXTINÇÃO DOS HABITATS

Isso com certeza está ligado principalmente ao desmatamento sem nenhum controle. Segundo dados do sistema Deter-B do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), a área em alerta de desmatamento na Amazônia, entre junho a agosto de 2019, teve um aumento de 203,5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Nós veterinários, inseridos nesse contexto, devemos diariamente educar e conscientizar todos a nossa volta, a buscar uma vida mais sustentável e em equilíbrio com o meio ambiente, com pequenas ações do dia a dia.